quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Sobre escovas progressivas e formol

 Oi meninas hoje vou indicar para vocês o blog do meu Amigo Miguel de Biasso, ele também é cabeleireiro e também é de Fortaleza, tem um vasto conhecimento na área informações técnicas e faz lindos trabalhos um blog digno de ser seguido http://www.miguelbiaso.blogspot.com, então pedi a ele uma postagem que adorei para publicar aqui, confiram ....

Olá organismos.


Sei que mais uma vez estou em débito com você por causa da minha ausência. Foi um tempo corrido de muito trabalho, que logo mais irei postar o resultado aqui pra vocês.

Mas estou aqui pra fazer uma rápida postagem sobre um assunto que vem me incomodando aos poucos: as escovas pogressivas e derivados.

Quem o uso do formol é danoso para a saúde e para o fio, isso ninguém duvida. O ativo foi muito utilizado como uma alternativa ao alisamento definitivo (com tioglicolato de amônia), teria o preço mais acessível e resultado duradouro. De fato, o cabelo fica LINDO após uma escova progressiva. Lindo no dia. O formol, com o passar das aplicações deixa o cabelo teso, sem movimento, pesado, grosso, envolto por uma capa e podre por dentro. So ativos de tratamento não penetram mais no fio. Ele é reconhecido pelo Instituto nacional de combate ao câncer como agente cancerígeno, além de causar inflamações no sistema respiratório, queimaduras, quedas de pressão a ponto de gerar um choque que poderá levar a clitente/vítima ao óbito. Enfim, os malefícios são mais que conhecidos, mas ninguém deixa de usar a técnica.

Como já sabemos, o  formol foi utilizado durante anos até que se registrasse os malefícios do produto, desde então ele vem sido proibido pela ANVISA como agente alisante e com toda a razão. Com a proibição do formol, passamos a ver novos ativos nas escovas... carbocisteína, ácido glioxílico, glutaral, uréia e as escovas começaram a ganhar novos nomes - escova inteligente, de chocolate, de morango, marroquina, egípcia, cearense, de maconha, selagem térmica, nanocristalização, reestruturação térmica e por aí vai. Não se enganem, é tudo progressiva. O fato de serem vendidas em qualquer lugar com o selo da anvisa, não me tranquiliza. Para cadastrar um produto no órgão, se for cosmético de tratamento (como muitas se classificam) basta preencher uma ficha na internet. E se for para alisar aí tem que enviar UMA única amostra e ficar livre das fiscalizações. Isso nos levanta duas questões:
- Se o formol passou anos para se conhecer os malefícios, o que garante que esses novos ativos também não são maus?
- Se não há fiscalização e o cadastro é tão fácil, o que garante que depois de receber autorização, as empresas não acrescentam formol ao produto que chegará a nós, consumidores e cabeleireiros?

Pois é, não estamos mesmo seguros. Sobre o formol, todos nós já sabemos. Sobre o glutaral, também já fomos avisados. E sobre os ativos novos? Quem sabe? A verdade é que a uréia, pelo que pesquisei, é derivado do formol. O ácido glioxílico junto com ácido lático, quando aquecido pela piastra libera moléculas de formol. Um próprio representante técnico da Doux Clair, marca que produz as tais escovas, disse que tem um ativo em sua escova que quando aquecido se transforma em formol. Na época estranhei pelo ativo se tratar de um poliquarteniun, mas quando fui aplicar a escova no SENAC, de fato, formol pra 10 escovas tinha sozinha naquele frasco! Ou seja, se a escova não tem formol, tem algum derivado. E então? O que fazemos? Eu também não sei...

Hoje lidamos com escovas a base de ácidos desconhecidos e que agem de maneira diferente. O ph das escovas são em torno de 1,5 a 2,0. Sabemos que ph baixo sela as escamas, mas não é sempre assim. Um ph tão ácido (baixo) com as das tais escovas podem ABRIR as escamas. Só que diferente do formol, ela não vai engrossar o fio. Com o passar do tempo, o ácido vai corroendo o fio do cabelo. Após o processo térmico, não se pode deixar mais que 20 minutos para que a corrosão não comece. E é comum que em salões se deixe o produto sem enxáguar e passar uma máscara no final de tudo. É por isso que estamos lidando com cabelos cada vez mais finos, cada vez mais espigados, cada vez mais frágeis para receber QUALQUER química. Sério, um cliente que é adepto de escovas progressivas, apesar de teoricamente compatível, é muito sensível a receber qualquer química.

Vamos ter cuidado com o que usamos. Precisamos cuidar da nossa saúde agora, precisar SABER o que utilizamos nos nossos fio. Não adianta ser inocente pessoal.






Creditos Miguel de Biasso...



Ajude o Miguel de Biasso a mudar o nome do blog dela a vencedora da melhor sugestão sera homenageada por ele. 



2 comentários:

  1. usei a progressiva sem formol glamur plus e odiei a minha 1 cliente falou que quebrou o cabelo dela e tambem eu sei que clareou o cabelo dela

    ResponderExcluir
  2. Viado feio do caralho, cacatua do demônio

    ResponderExcluir

Você gosta de ler mais sobre ....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Intensy Color